Pages

terça-feira, 9 de outubro de 2012

O Dia que o Pós-Graduando Virou Gente



O Dia que o Pós-Graduando Virou Gente

No dia 7 de agosto de 2012 o Conselho Universitário decidiu por maioria suspender as aulas da Pós-Graduação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A decisão histórica que nunca antes teve precedentes na UFSC deveu-se a falta de condições de permanência a todos os discentes, o que pela primeira vez incluiu os pós-graduandos.
A pauta que levou a essa guinada na história recente das pós-graduações teve apoio dos professores que se mostram indignados com as metas produtivistas baseados em critérios quantitativos das agências de fomento. Como é sabido aos pós-graduandos de cursos, onde o produtivismo é a pauta de todo dia, quem realmente sofre as consequências desse ritmo alucinado de produção é o elo mais fraco da corrente, ou seja, o pós-graduando, que além de realizar as atividades de pesquisa, acaba por realizar infinitas atividades de zeladoria, burocracia e ensino para seus orientadores, os quais não teriam condições de executar essas tarefas sem o exercito de subempregados aos quais está encarregado, ou seja, os seus orientandos.
A decisão do CUn demonstrou que há uma percepção que os tempos são outros, já que se sabe hoje que menos de 35% dos pós-graduandos do país possuem bolsas, situação muito diferente do que há de 30 anos atrás onde os pós-graduandos já estavam empregados e bem estabelecidos.  Hoje em dia nós precisamos lutar para se qualificar atendendo as normas e critérios da Capes/CNPq e ainda manter em ordem as tarefas burocráticas e de ensino que a nós não deveriam ser repassadas. Logo com a suspensão das aulas adquirimos mais confiança em se negar a trabalhar e pesquisar sem as condições mínimas de permanência, ou seja, sem o restaurante e a biblioteca universitária, uma vez que adquirimos a partir do dia 07 de agosto de 2012 o reconhecimento institucional que não somos apenas subempregados com parcos direitos, somos sim, discentes da Universidade Federal de Santa Catarina.
O Dia que Deixou de Ser
No Dia 23 de agosto de 2012 o Conselho Universitário (CUn) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) decidiu por maioria a volta das aulas da pós-graduação, ficando a critério dos coordenadores da pós-graduação de cada curso decidirem o que deve voltar e o que não deve. A tradução para esta decisão é uma carta branca para que os programas decidam por si mesmos se mantém as aulas da pós-graduação ou não.
Cabe salientar que em nenhum momento, ao que nos foi relatado, os coordenadores de pós-graduação entraram em contato com as representações discentes para debater as condições de permanência para os pós-graduandos, logo a decisão de manter as aulas diz respeito, aparentemente, somente aos professores dos respectivos programas. O aluno que é parte essencial e vital para o funcionamento dos programas em nenhum momento foi consultado ou considerado quando este tipo de decisão foi tomada e está sendo tomada.
Na realidade a decisão deste dia no CUn foi apenas a ratificação do que de fato tinha acontecido, ou seja, a revelia da instância máxima da entidade, muitos programas de pós-graduação continuaram ou deram inicio ás aulas, com o objetivo, aparentemente, de não ter de lecionar em janeiro e fevereiro e possivelmente o principal, que é o de manter o pós-graduando na rédea curta, pesquisando e realizando tarefas burocráticas e de ensino que violam o caráter da bolsa.
As condições de permanência foram severamente afetadas, no entanto a despeito de isto ser reconhecido pelos conselheiros universitários, nós acabamos ficando reféns da decisão unilateral dos professores de manterem e darem inicio as aulas. E o que poderemos fazer?! Como é sabido devido à especificidade da bolsa temos um vinculo com o nosso orientador e com o programa de pós-graduação tornando-se difícil, se não impossível, dizermos NÃO! O assédio para que façamos o que não é nossa responsabilidade e para que trabalhemos sem condições de segurança é constante e tão forte que o absorvemos e chegamos a agradecer pela transferência de responsabilidades, como se fosse um favor para nós, realizarmos o trabalho de outrem.
Neste momento se torna imprescindível fortalecermos os nossos representantes estudantis dando respaldo para que nos defendam e que sejam defendidos por nós, e principalmente nos articularmos quanto universidade no âmbito da associação dos pós-graduandos (APG-UFSC) à qual todos os pós-graduandos são automaticamente associados no momento que entram na pós-graduação da Universidade federal de Santa Catarina.
Cabe salientar que somente fortalecendo o movimento dos Pós-Graduandos poderemos arrancar concessões institucionais.

Venha Para os Fóruns Participativos!!!
Dia 16 de outubro ás 19 Horas na Sede da APG na Biblioteca Universitária.

Nenhum comentário: