Pages

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Relato da reunião entre Apufsc-Sindical e APG-UFSC sobre a greve dos professores.


O Diretor Marcio Campos, em reunião com a APG-UFSC, às 10 horas do dia 12/06/2012, expôs a decisão do colegiado da Apufsc-Sindical (Sindicato dos Professores das Universidades Federais de Santa Catarina) de conversar com todos os segmentos da UFSC a respeito da greve, de modo que a mesma greve seja “decidida e assumida com conhecimento e responsabilidade por parte dos docentes”.
O Diretor expôs que em reunião ampliada do Conselho de Representantes (CR), da Apufsc-Sindical, dia 31 de maio, deliberou pela realização de duas Assembleias Gerais Extraordinárias. A primeira ocorre no dia 14 de Junho, às 14h, no auditório do CCE, bloco B, para análise do movimento de greve nas Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) e deliberação de indicativo. No caso de um indicativo favorável, a segunda será nos dias 18 e 19 de junho para deliberação de greve, numa assembleia estatutária de dois dias, o primeiro para discussão e esclarecimentos e o segundo para votação em urna.
Para garantir maior participação dos professores nas deliberações, antes das assembleias a diretoria da Apufsc está realizando reuniões de mobilização nas unidades de ensino e encontros com o Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Santa Catarina (Sintufsc), com o Diretório Central dos Estudantes (DCE) e com a Associação de Alunos de Pós-Graduação (APG-UFSC), além de uma reunião com a reitora Roselane Neckel.
O Diretor expõe que a direção da Apufsc é “isenta de coloração política” e “têm a finalidade de mediação para que a decisão seja tomada com a participação dos seus pares”, para que a decisão seja tomada pelo que os professores decidam. Também entende que “a greve deve ser mais bem trabalhada na base”, para a qual se está organizando as assembleias para que as discussões aconteçam, sejam favoráveis ou contra a greve. Outro ponto apresentado foi o não comparecimento de professores nas assembleias que, segundo o mesmo visam “a discussão das condições estruturais da Universidade”.
À pedido de uma posição da APG sobre a greve, os representantes da APG relataram que na última reunião realizada na APG houve uma discussão sobre a greve, para a qual se compreende que as pautas defendidas são legítimas e que a greve é um instrumento de mobilização importante para com a pressão para com as pautas dos servidores e professores. Quando pedimos se haveria espaço para manifestação (com voz e não voto) dos Pós-graduandos nessa assembleia, o referido professor nos disse que necessitava consultar os demais membros da diretoria.
Também houve o relato de que o debate sobre a greve será discutida, para o qual todos os Pós-Graduandos serão convidados, em uma Assembleia a ser realizada no dia 22/06/2012.
A APG registra que está presente na Comissão de Mobilização para a Assembleia dos Professores que a Seção Sindical do ANDES está convocando para o dia 18 de junho, ás 15 horas no Auditório do CFH. Nesse espaço encontramos espaço propício e rico em elementos que nos indicaram as reivindicações salariais, sobre o plano de carreira, e das demandas estruturais requeridas sobre a expansão das IFES através do REUNI. Nesses momentos também pudemos expor as nossas demandas que se relacionam com os problemas das demais categorias da comunidade universitária. 

Nenhum comentário: